A importância da embalagem no armazenamento

07 Embalagens

A embalagem é de suma importância, não apenas no armazenamento de produtos, mas também para exposição em lojas e supermercados, tornando os produtos mais atraentes e informativos, com as devidas recomendações impostas pelos órgãos reguladores das atividades de cada setor.

Para produtos que atendem o consumo humano, as embalagens de armazenamento devem ter informações sobre sua composição, prazo de validade, fabricante, serviços de apoio ao consumidor, agência reguladora, além das advertências sobre acondicionamento, manuseio, locais apropriados e, no caso de alimentos, com relação às alergias e efeitos colaterais que podem provocar.

Quando tratamentos de logística e armazenamento, as embalagens devem também apresentar características que facilitem sua movimentação e estocagem, ainda que a maior preocupação seja a de redução dos estoques, a movimentação de transporte e atividades de carregamento e descarregamento, com os devidos cuidados para evitar avarias operacionais ou perdas provenientes dessa movimentação.

Embalagem no armazenamento: as competências essenciais

No armazenamento, a embalagem deve conter quatro competências essenciais: o marketing, o design, a logística e o meio ambiente.

A embalagem deve, portanto, ser vista sob uma ótica sistêmica, compreendendo o conjunto de operações, materiais e equipamentos utilizados. A embalagem no armazenamento deve acondicionar, proteger, conservar, servir para o transporte e para e estocagem ao longo da cadeia de suprimentos.

Dessa forma, deve contribuir para satisfazer as necessidades de todos os integrantes da cadeia, com respeito ao meio ambiente, atendendo as necessidades de informação e a logística, além de um visual atraente.

A embalagem deve ser um recipiente de proteção, de agrupamento e de facilitador no transporte e no armazenamento, desde as mais conhecidas do consumidor, que atende às necessidades de marketing, até as embalagens industriais, usadas para acomodar. Podemos, portanto, dividir a embalagem em cinco níveis de categorias, cada nível atendendo uma necessidade:

1.      Embalagens primárias

As embalagens primárias envolvem diretamente o produto, sendo aquela que o cliente pode tocar e de onde pode extrair as informações sobre o produto.

2.      Embalagens secundárias

São as protetoras das embalagens primárias, compostas de embalagens maiores, servindo para o armazenamento, transporte e manipulação manual, contendo diversas embalagens primárias.

3.      Embalagens terciárias

São compostas de caixas de papelão, de madeira ou plástico, mais utilizadas no armazenamento, na movimentação manual e no transporte, compactando um maior número de produtos.

4.      Embalagens quaternárias

São aquelas que servem para facilitar o armazenamento e a movimentação, contendo maior número de unidades em seu interior. Exemplos desse tipo de embalagens são os paletes, que facilitam o deslocamento de locais e a transposição de um lugar para outro.

5.      Embalagens de quinto nível

Aqui encontramos os contêineres ou embalagens especiais, que são usadas tanto para armazenamento quanto para transporte em longas distância, como o caso de cargas de navios.

Embalagens no armazenamento: prevenindo avarias

Além de prestar as informações sobre a natureza e especificações de cada produto, as embalagens servem para protegê-los de avarias dos mais diversos tipos, facilitando sua movimentação e reduzindo os espaços ocupados no armazenamento. Dependendo do tipo de produto, são usados alguns materiais diferenciados.

Os materiais são de diversos tipos, servindo para acondicionar a mercadoria e, dependendo do tipo de produto, servindo de forma mais apropriada, já que cada produto apresenta características distintas.

A compactação possibilita o empilhamento no armazenamento em um mesmo local, podendo aproveitar melhor o espaço físico, seja no almoxarifado ou no modal de transporte. Os materiais mais usados para embalagens são os seguintes:

1.      Embalagens de papelão

O papelão, certamente, é o material mais utilizado nas operações de logísticas, apresentando como características principais a proteção do conteúdo contra choques e possibilitando o empilhamento dos produtos.

2.      Embalagens de plásticos

Alguns tipos de plásticos, como isopor, plástico bolha e plástico resinite servem para forrar os produtos para sua proteção no transporte e empilhamento. Nessa classificação também entram os paletes, que podem ser fabricados tanto em madeira, como em aço, plástico ou ferro, facilitando o deslocamento das mercadorias no armazenamento.

3.      Embalagens de contêineres

Os contêineres são a classe de embalagem mais usada no transporte em longas distâncias, sendo ainda uma extensão para o armazenamento, semelhantes a caixas construídas em ferro e aço, com dimensões em tamanho padrão e podendo servir como reefers, os contêineres refrigerados.

Os tipos de embalagens aplicados no armazenamento devem ser os mais adequados para levar o produto ao consumidor em seu estado integral, de maneira eficiente, de uma forma planejada pela administração da logística.

A última questão acerca das embalagens é com relação à sustentabilidade e à logística reversa, ou seja, o refluxo das embalagens, oferecendo operações sustentáveis, que possam ser recicladas, evitando o acúmulo de lixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *