Como fazer um plano de armazenagem eficiente

Sua empresa deve agregar valor para atender às demandas específicas dos clientes e o plano de armazenagem é uma ferramenta eficiente para trazer possibilidades de atender a essas demandas e necessidades.

O plano de armazenagem é a aplicação de técnicas para atender as exigências dos clientes em toda a cadeia de abastecimento, envolvendo o adiamento dos estágios finais de manufatura para que os produtos possam ser terminados conforme a demanda do mercado.

O plano de armazenagem, em sua essência, está no estoque de componentes necessários para atender a demanda. Com isso, o armazém pratica suas atividades para adequar os componentes aos produtos de acordo com o que o mercado está precisando.

Existe uma variedade de iniciativas que devem ser incluídas no plano de armazenagem, dependendo do tipo de produto, da flexibilidade do cliente e de quais serviços de seu valor agregado o armazém pode executar.

O plano de armazenagem torna-se importante de acordo com os serviços agregados ao armazém, como a paletização, a embalagem, a etiquetagem, a precificação ou mesmo a manufatura dos produtos.

Elaborando um plano de armazenagem

O plano de armazenagem deve ser elaborado de acordo com as necessidades da empresa, passando por algumas etapas básicas, como destacamos a seguir:

1.      Estudando o processo atual de armazenagem

Para estudar e elaborar o plano de armazenagem, devemos antes entender o conceito de SKU, ou Stock Keeping Unit (Unidade de Manutenção de Estoque), que designa os diferentes itens do estoque, associando-os a um código identificador.

Tomando como base o plano estratégico da empresa, devemos, a seguir, responder a algumas questões:

  • Qual é a variedade de SKU que está sendo oferecida?
  • Qual a quantidade adicional de SKU solicitada pelo cliente?
  • Qual a quantidade adicional de SKU que o marketing está considerando?
  • Quais os atuais processos de atendimento realizados pelo armazém?

2.      Estabelecendo objetivos, prioridades e critérios de avaliação

O plano de armazenagem, a seguir, deve buscar a interação com a liderança da empresa, estabelecendo os objetivos de curto, médio e longo prazo, entendendo as prioridades da empresa com relação aos serviços prestados, às ameaças externas, aos pontos fracos e fortes e às oportunidades.

Deve-se observar ainda a redução de inventário e restrições de capacidade do armazém, além de fatores que possam gerar impactos direitos na estratégia do armazenamento. Ao mesmo tempo, é necessário entender os critérios de avaliação que devem ser utilizados para encontrar alternativas para o plano de armazenagem.

3.      Criando o banco de dados

Para o plano de armazenagem é necessário conseguir algumas informações adicionais, como, por exemplo:

  • A previsão de mercado para o negócio e o crescimento de SKU;
  • O historio de pedidos para determinar a necessidade de itens;
  • As características do produto, permitindo as definições de unidades de estoque;
  • A análise do layout da instalação e suas possíveis restrições;
  • Os custos atuais do sistema de armazenamento;
  • Os critérios de avaliação e a situação econômica;
  • Os procedimentos aplicados na estocagem, na separação e embalagem;
  • A análise mensal dos níveis de estoque por item ou produto;
  • O grau de informatização aplicado no armazém.

4.      Criando estratégias alternativas para o plano de armazenagem

Com todas as informações coletadas, o plano de armazenagem deve determinar o que é comum entre as várias ofertas de itens, analisando o processo de produção para determinar o quanto o armazém poderá oferecer de benefícios.

Para a empresa, é importante investigar alternativas sob medida, abordando o desenvolvimento de necessidades de equipamentos, de materiais, de mão de obra e de sistemas.

Obtendo as alternativas para o plano de armazenagem, o processo deve ser revisado para determinar o tempo de ciclo dos itens, comparando com o tempo real dos pedidos e determinando o correto mix de produtos genéricos para o inventário dos produtos acabados.

Depois de determinado o mix de itens, é necessário estabelecer os níveis apropriados exigidos, desenvolvendo, em seguida as configurações alternativas de estocagem, com projeção de espaço, de equipamentos e de pessoal para cada alternativa.

5.      Avaliando estratégias alternativas do plano de armazenagem

A avaliação das estratégias alternativas deve atender à funcionalidade do plano de armazenagem, assegurando que o almoxarifado tenha condições de fornecer as necessidades da produção, mantendo os níveis dentro daquilo que seja importante para manter o nível de produção e viabilizar futuras demandas.

6.      Avaliando planos estratégicos para o plano de armazenagem

A empresa deve também definir os custos de investimento, de instalação e de operação de cada alternativa, selecionando a que se apresente como melhor para o plano de armazenagem, baseado em avaliações econômicas e qualitativas.

7.      Desenvolvendo o plano de ação para o armazenamento

O plano de armazenagem deve ser traduzido como um plano de ação da empresa, apresentando sistemas de movimentação de materiais, sistemas de estocagem, de produção e de embalagem, além do controle do material.

O plano de armazenagem é uma das melhores alternativas para o investimento adequado no almoxarifado, atendendo as necessidades da empresa e permitindo a continuidade de suas operações com custos adequados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *