Como implantar a logística distribuição no e-commerce?

Como implantar a logística distribuição no e-commerce

conversamos diversas vezes por aqui o quanto é importante para uma empresa manter uma rede de distribuição organizada e eficiente, principalmente no que fiz respeito ao prazo de entrega de mercadorias que geram experiências positivas e negativas com os clientes, que podem voltar ou não a comprar produtos ou serviços de uma determinada marca.

Hoje, existem as redes de e-commerce, que realizam vendas instantâneas e simultâneas com diversos clientes, por muitas vezes. Por não existir o contato humano na hora da venda, o processo precisa ser muito detalhado e explicativo, para que o cliente não tenha dúvidas, caso este que pode impedir até mesmo que ele conclua uma compra. Outro quesito que precisa estar em completo acordo e com um correto funcionamento, sem falhas, é no caso da distribuição e no processo de entrega das mercadorias compradas pelos clientes e que precisam respeitar os prazos propostos.


Por isso, normalmente, as lojas de e-commerce precisam dedicar uma boa parte do investimento nessa rede de distribuição, seja para o caso de empresas terceirizadas, como você já viu por aqui, ou na sua própria rede que realizará a distribuição e entrega dos produtos selecionados.

Para termos uma noção do alto investimento que está sendo realizado, de acordo com uma pesquisa da Comexnet, a Comunidade de Comércio Exterior, Transporte e Logística, uma entidade que tem em seu núcleo cerca de 4 mil empresas associadas à área da logística em toda a América Latina, as empresas associadas estão destinando cerca de US$ 500 milhões nas redes de e-commerce, ainda revelando que US$ 100 milhões desse valor total será destinado totalmente a rede de distribuição B2B, que relaciona as vendas entre as empresas, e outros US$ 100 milhões nas redes de B2C, ou seja, as vendas diretas para o consumidor final.

A questão do frete
Um dos chamados grandes inimigos que influenciam na conclusão de uma compra nas lojas de e-commerce, é o chamado frete. Esse valor existe para que, em muitos casos, as empresas de distribuição possam ter algum lucro. Ainda assim, reconhecem que as demandas têm aumentado no decorrer dos anos, no Brasil. De alguma forma é possível concluir que o brasileiro está comprando mais online, em virtudes do aumento de promoções realizadas por estar lojas.

Essa questão do frete é um reflexo de como a internet tem influenciado todo o processo comercial no que diz respeito às estruturas dos centros de estoques, assim como, nos canais de distribuição. Pois as empresas precisam adotar medidas cada vez mais ágeis no momento de agradar seus clientes.

Distribuição junto aos clientes
Em termos técnicos, os sistemas de e-commerce estão na ativa com todas as suas forças apenas nos últimos setes anos. Isso sem contar que este sistema ainda apresenta muitas falhas que precisam de atenção especial para os serviços funcionem perfeitamente, principalmente no Brasil.

Pensando em resolver detalhes como estes e que resolvessem algumas falhas na logística de distribuição, algumas grandes redes de e-commerce brasileiro estão colocando os centros de distribuição e estoques cada vez mais perto dos seus consumidores, como em áreas centrais das grandes cidades e capitais.

Porém, isso não resolve completamente um problema de redução de custos com sistemas de distribuição, lembrando que os consumidores estão espalhados por todo o país e o volume de vendas geralmente são bem baixos.

As áreas ligadas à distribuição
Para o setor de distribuição funcionar, é preciso dar uma atenção em especial a cada setor relacionado a ele, para que o correto processo siga o seu fluxo. Por isso, listamos abaixo, de forma ampla e objetiva, algumas das áreas ligadas à distribuição, que caso você opte por implantá-lo na sua empresa, poderá servir de orientação.

  • Projetos: é setor responsável por realizar o planejamento e todo o controle da implementação do serviço nas empresas, é quem também desenvolve cronogramas de trabalho, de entrega e faz os orçamentos para o caso de empresas terceirizadas, dentre outras funções;
  • Logística: quando se fala em logística é preciso ter um conhecimento detalhado da localização geográfica para se definir qual será o prazo de entrega. Dessa forma é preciso que se tenha em mente também outros detalhes, como localização de mercados fornecedores e o próprio mercado consumidor são detalhes importantes para o responsável por esta função;
  • Compras: é quem faz a busca pelos melhores fornecedores e faz a busca por orçamentos;
  • Financeiro: setor responsável por realizar um levantamento de recursos, analisa custos e faz uma viabilidade financeira dos projetos envolvidos;
  • Contabilidade: faz os ajustes ideais para que a empresa se adapte aos termos legais e fiscais no que diz respeito aos detalhes tributários;
  • Recursos humanos: setor que realiza o recrutamento e a seleção de pessoas, busca treinamentos, define a utilização dos EPIs, além de aplicar normas e leis trabalhistas específicas, dentre outras funções;
  • TI: faz a implantação de softwares e realiza a configuração dos hardwares necessários;
  • Marketing: setor responsável por definir o melhor mercado para a operação da empresa e quais são os investimentos necessários com base nos produtos mais vendidos, assim como concorrentes, dentre outras funções;
  • Jurídico: área que será a responsável por contratos, incluindo a locação do espaço do centro de distribuição, que inclui também a contratação de equipamentos e a prestação de serviços.

No post de hoje vimos como o setor de e-commerce está dependente do funcionamento correto dos centros de distribuição e se tiver alguma dúvida, faça contato conosco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *