A Ergonomia na Indústria

A Ergonomia na IndústriaDesde a época da revolução industrial, quando muito trabalhadores deixaram a vida no campo e migraram para as grandes capitais que começaram a surgir doenças oriundas da má postura dos trabalhadores e patologias afins. Com o passar dos anos diagnosticou-se que muitas dessas doenças e dores que os trabalhadores sentiam estão relacionadas a má ergonomia que era instalada nas empresas na época, que pouco se preocupavam com questões relacionadas à saúde e ao bem-estar dos funcionários. Vale lembrar que nessa época, quando se instalava o regime fordista, era pouco comum a preocupação dos empresários com a segurança de seus colaboradores e essa cultura se estende em algumas organizações mais conservadoras até os dias atuais. Os sistemas de armazenagem, atualmente, podem servir também como instrumento para melhorar a ergonomia dos trabalhadores. O sistema carrossel, por exemplo, é um tipo de sistema de armazenagem que contribuiu para que o trabalhador não seja exposto a posições insalubres e que possam acarretar em problemas para sua saúde. Falaremos mais sobre isso nos parágrafos a seguir:

Os historiadores trabalham com a data de 12 de julho de 1949 como o início das atividades de ergonomia, pois foi nessa época que surgiu a Sociedade de Pesquisa em Ergonomia na Inglaterra. O termo ergonomia vem do grego ergo=trabalho e nomos= regras, leis naturais. A partir do século XX, a ergonomia passou a ser dividida em três etapas, as quais falaremos a seguir:

1ª etapa (1945-1960): nessa época, os sistemas de armazenagem ainda eram pouco difundidos e muito incomuns nas indústrias. Na contramão, estudiosos começaram a definir os primeiros conceitos de ergonomia, trazendo fortes ligações com a fisiologia e aspectos físico-musculares;
2ª etapa (1960-1980): na segunda etapa, especialistas de áreas distintas às da saúde, como engenheiros, arquitetos e designers, começaram a também se dedicar ao estudo da ergonomia industrial.
3ª etapa (a partir da década de 80): na década de 80 houve um avanço na área da ergonomia. Os sistemas de armazenagem, por exemplo, também passaram a ser utilizados e planejados com o objetivo de melhorar a ergonomia dos operadores. Os sistemas carrossel, por exemplo, se popularizaram e seu modo de funcionamento se tornou referência no que se refere a armazenamento pois sua estrutura permite com que as peças sejam movimentadas no próprio armário.

Observa-se que os sistemas de armazenagem do tipo carrossel, por exemplo, cumprem um papel bastante importante na indústria pois ele melhora e muito a ergonomia dos operadores de determinados tipos de linhas de produção. Além disso, de acordo com representantes de empresas que adotaram esse tipo de sistema nas indústrias, eles acomodam até 60% a mais que outros sistemas comuns. Outro fator interessante é que operadores diferentes podem operar carrosséis múltiplos, separando diferentes pedidos por vez. Além disso, possibilitam uma armazenagem descentralizada, mesmo no interior da área de produção, o que facilita também a organização do espaço de um modo geral.

O sistema de armazenagem do tipo carrossel também é muito utilizado em armazéns que realizam a separação de pedidos utilizando softwares como o picking e o voice-picking, ambos já explicados aqui em outras oportunidades. É possível, em softwares de picking mais modernos, realizar a numeração dos produtos e relacioná-los em uma lista. Desse modo, quando se necessita pegar tal produto, basta colocar o número no software e o próprio sistema separa o produto e o leva até o operador.

 

Assim sendo, é preciso definir também alguns objetivos e metas quando se planeja o sistema de ergonomia industrial, como:

  • proporcionar um aumento do conforto nos postos de trabalho, por meio da modernização dos equipamentos, assim como, da conscientização dos funcionários;
  • qualificar quais são as atividades da organização listando quais são os riscos ergonômicos no qual os colaboradores estão envolvidos.
  • desse-se criar grupos internos que avaliem e comprovem quais são os riscos e, da mesma forma, façam uma controladoria de prevenção de acidentes no ambiente de trabalho.
  • além da conscientização, deve-se também criar um estímulo para que os funcionários sejam proativos na busca por um ambiente de trabalho mais seguro e saudável.

 

Percebemos então que a ergonomia está sempre em constante evolução e que hoje em dia os empresários costumam ter consciência da importância disso para o bem-estar dos operários e o bom funcionamento da organização. Ter a forma ergonômica correta no ambiente de trabalho evita também que a empresa obtenha, inclusive, processos trabalhistas, pois muitos funcionários adquirem doenças, como a lesão do esforço repetitivo (LER) durante o trabalho e podem pedir indenizações para a empresa quando se aposentam ou saem do trabalho. As empresas necessitam evitar esse tipo de coisa, proporcionando sempre uma estrutura adequada para que seus colaboradores possam ter uma saúde plena, o que acarretará também em um melhor aproveitamento do trabalho. Manter a postura correta é uma das formas de ergonomia que podem ser melhor trabalhadas com o auxílio de sistemas de armazenagem do tipo carrossel.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *