Sistemas de Armazenagem na Indústria Calçadista

Sistemas de Armazenagem na Indústria Calçadista

Indústrias dos mais variados segmentos adotam o uso de sistemas de armazenagem para melhor realizar seus trabalhos de logística e estoque. No ramo calçadista não é diferente e é esse assunto que será abordado hoje aqui no site.

Um dos principais fatores que levam as indústrias a investirem em tecnologias diferenciadas para apresentar um melhor desempenho na logística e em todo o seu trabalho de modo geral é a competitividade. Vivemos em uma época em que existem várias empresas em cada setor e estudos apontam que os consumidores são cada vez mais exigentes, ou seja, qualquer vantagem que uma empresa venha a oferecer em relação a seus concorrentes pode ser vir de chamariz para “roubar” seus clientes. No setor calçadista isso não acontece de maneira diferente e, por isso, que as indústrias do segmento estão investindo cada vez mais em ações que visem a melhorar seus produtos e condições oferecidas ao consumidor.

Para não ficar para trás em relação à concorrência, as empresas necessitam ter a competitividade em seu DNA e por isso devem procurar por formas de produção que reduzam custos, aumentem a produtividade e permitam uma flexibilização no atendimento ao cliente. Pode não parecer, mas os sistemas de armazenagem contribuem para tudo isso por estarem diretamente relacionados às atividades de logística.

Falando da indústria calçadista de modo mais específico, podemos dizer que no Brasil, essa teve início de forma muito artesanal na região do Vale nos Sinos no estado do Rio Grande do Sul por volta do ano de 1825. Essa modalidade de indústria ganhou forte impulso na região, principalmente após a guerra do Paraguai. Os anos se passaram e por volta da década de 60 o Brasil começou a exportar calçados para diversos países do mundo, entre os quais se destaca os Estados Unidos, que encomendava grandes produções do nosso país. Tal reconhecimento dado pelo país mais poderoso do mundo, fez com que o Brasil se tornasse referência mundial na produção de calçados e atualmente emprega mais de 300 mil pessoas nesse setor, além de possuir cerca de 7800 empresas do ramo registradas.

No ramo calçadista a armazenagem aparece em duas formas básicas: matérias-primas e produtos finalizados. Veremos mais sobra cada uma delas a seguir:

Matérias-primas: a armazenagem em de matérias-primas e outros suprimentos consiste na separação dos materiais em diferentes categorias como couro, tecidos, cadarços, solas, enfeites e outros materiais utilizados para a produção de calçados de modo geral;
Produtos finalizados: os produtos finalizados são os calçados propriamente dito como sapatos, tênis, chinelos, botas, sandálias e outros. Eles também são separados por categorias na indústria e depois seguem para os consumidores nas lojas.

No ramo calçadista, os especialistas na logística do setor, destacam duas funções básicas que os sistemas de armazenagem devem cumprir na área. Falaremos um pouco de cada uma delas a seguir:

Movimentação de materiais: nessa função estão incluídas diversas atividades como o recebimento da matéria-prima, a separação e catalogação das matérias-primas de acordo com sua classificação de gênero, tipo ou característica, a seleção de pedidos dos clientes através dos procedimentos de picking ou voice-picking e o embarque do produto final em caminhões ou outros veículos que são encarregados de levar os produtos até as lojas onde serão comercializados para os clientes;
Estocagem: a estocagem, tema já amplamente abordado em ocasiões anteriores, nada mais é do que a reserva de matérias-primas ou mesmo dos calçados já finalizados em sistemas de armazenagem, como prateleiras ou porta-pallets, por tempo pré-determinado ou indefinido. Por exemplo: uma empresa de calçados adquire uma quantidade X de matéria-prima para a confecção de uma modelagem específica de tênis, no entanto, há um congelamento no mercado e os tênis não vendem tão bem quando o esperado. Nessas condições, certamente a empresa irá cessar a fabricação de novos pares do tênis que estão “empacados” nas lojas, de modo que será necessária a estocagem dessa matéria-prima por tempo indeterminado.

Dados do setor para o Brasil

Hoje o Brasil conta com mais de 8,4 mil empresas que se dedicam ao ramo calçadista, sendo que produzem mais de 725 milhões por ano, tanto que 189 milhões dessa produção se dedica ao mercado internacional, ou seja, para a exportação. O ramo se destaca ainda como um dos setores que a maior abertura de empregos em nosso país, sendo o Rio Grande do Sul como o estado líder nesse setor ligado a geração de empregos. Outro detalhe interessante é que mesmo que o setor calçadista invista em alta tecnologia para cumprir demandas da linha de produção, a maior parte do trabalho envolvido necessita de mão de obra humana, ou seja, as máquinas não substituem as pessoas.

Podemos dizer então que, de um modo geral, os sistemas de armazenagem na indústria calçadista não fogem muito da realidade já conhecida por outros segmentos indústrias, no entanto, há ações e atividades específicas dessa área. O setor calçadista está em expansão no Brasil, principalmente no que se refere a importação, sendo um tipo de empresa onde o sistema de armazenagem possui muita importância para seu bom funcionamento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *