O arranjo físico na armazenagem: como fazer?


Uma das coisas mais importantes para os processos industriais ou comerciais de uma empresa está no arranjo físico na armazenagem, ou seja, ao layout empregado para a distribuição dos itens que precisam ser guardados para uso na produção, na comercialização ou na prestação de serviços.

O arranjo físico na armazenagem de uma empresa envolve o planejamento e a integração de todos os caminhos dos componentes de um produto ou de um serviço, com o objetivo de conseguir um relacionamento mais eficiente e econômico entre os recursos da empresa, como pessoal, equipamentos e materiais movimentados.

Assim, definir o arranjo físico na armazenagem é decidir o melhor local para colocar todas as instalações, máquinas, equipamentos e pessoal do sistema empresarial.

Na empresa, o arranjo físico na armazenagem deve procurar a melhor combinação das instalações industriais e de tudo o que concorre para a produção, dentro do espaço disponível. O layout deve procurar harmonizar e integrar os equipamentos com a mão de obra, os materiais com as áreas de movimentação, a estocagem com a administração e a mão de obra indireta, integrando todos os espaços e recursos para possibilitar a rotatividade necessária para a atividade da empresa.

Na elaboração do arranjo físico da armazenagem é necessário procurar a disposição que melhor estabeleça a integração dos equipamentos com o pessoal e com as fases do processo produtivo ou de serviços, permitindo, dessa forma, o máximo rendimento dos fatores de produção, utilizando a menor distância e o menor tempo possível.

Como funcionam os princípios do arranjo físico na armazenagem

Para atender os objetivos, o arranjo físico na armazenagem deve se utilizar de alguns princípios gerais básicos, que devem ser obedecidos no planejamento da empresa como um todo:

1.      Integração

Os elementos mais diversos, como fatores diretos e indiretos ligados à produção, devem estar totalmente integrados, uma vez que, havendo falha em qualquer um deles, o resultado será ineficiência no processo produtivo.

Desta maneira, todos os detalhes da empresa devem ser observados e estudados, colocados nas suas devidas posições e dimensionados da melhor forma, como, por exemplo, a posição das prateleiras de armazenagem e a largura dos corredores do almoxarifado.

2.      Menor distância

A utilização de equipamentos de transporte em nada acrescenta ao produto ou serviço. O arranjo físico na armazenagem deve procurar uma forma de reduzir ao máximo as distâncias entre a operação e o almoxarifado, evitando esforços inúteis, transtornos e maiores custos.

3.      Atendimento ao fluxo das operações

A disposição das áreas e locais de trabalho no arranjo físico da armazenagem deve obedecer às exigências das operações, de forma que o pessoal, os materiais e os equipamentos possam se mover em fluxo contínuo e organizado, atendendo a sequência lógica do processo de produção ou de serviços.

Dessa maneira, é preciso evitar cruzamentos e retornos que provoquem interferência e congestionamentos.

4.      Racionalização do espaço físico

O espaço físico deve ser utilizado da melhor maneira possível dentro do arranjo físico na armazenagem, utilizando, dentro das possibilidades, as três dimensões, altura, largura e profundidade.

5.      Segurança dos trabalhadores

A segurança é um fator importante no arranjo físico na armazenagem, trazendo maior satisfação no trabalho e a certeza de que cada trabalhador está livre da ocorrência de acidentes.

6.      Flexibilidade

O arranjo físico na armazenagem deve ter como princípio a flexibilidade, que deve ser considerado levando em conta as frequentes e rápidas necessidades de mudança na empresa, seja através de projetos de produtos, seja por mudanças de métodos e sistemas de trabalho.

A falta de atenção às alterações exigidas pelo dinamismo da empresa pode levar a produção a se tornar obsoleta. O projeto do arranjo físico na armazenagem deve considerar que as condições são mutáveis e que todas as alterações devem ser aplicadas de maneira fácil, com flexibilidade para a adaptação às novas condições.

Tipos de arranjo físico na armazenagem

Depois de selecionado o tipo de processo da empresa, o tipo básico de arranjo físico na armazenagem deve ser definido para atender ao processo produtivo. O layout deve considerar a forma geral do arranjo dos recursos produtos da operação, determinando o tipo de produto, o tipo de processo produtivo e o volume de produção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *