Sistemas de armazenagem FIFO e LIFO

08 Armazenagem

Para uma empresa, seja qual for o seu ramo de atividade, os sistemas de armazenagem dos produtos usados na fabricação ou em qualquer outro processo, exigem muita atenção, seja com relação à estocagem, ao manuseio, ao transporte ou ao gerenciamento.

Em casos de produtos que tenham prazo de validade, o principal desafio para a empresa está na garantia da qualidade do produto final e na conservação dos materiais usados para a produção.

O principal cuidado deve ser com relação aos clientes, que exigem qualidade e disponibilidade dos produtos, enquanto que, para a empresa, é necessário estar sempre à frente na excelência da prestação de serviços, aliando à qualidade os preços competitivos e criando o seu diferencial no mercado.

Para estabelecer quais os sistemas de armazenagem adequado, a empresa pode escolher entre os diversos métodos aplicados regularmente no almoxarifado, como por exemplo, os sistemas LIFO e FIFO.

O sistema de armazenagem LIFO significa “last in, first out”, o que quer dizer, em português, “último que entra, primeiro que sai”, enquanto o sistema FIFO significa “first in, first out”, ou seja, “primeiro que entra, primeiro que sai”.

Os dois termos são bastante conhecidos em sistemas de armazenagem e atendem a diversas situações, seja para o armazenamento ou para a logística, determinando a ordem em que será utilizado, manuseado, carregado, descarregado qualquer item do almoxarifado, ou mesmo como o item é colocado ou removido de um compartimento de armazenagem.

Cada termo tem o seu significado, tanto para a área de estoque quanto para a contabilidade.

Como funcionam os sistemas de armazenagem FIFO e LIFO

Ao trabalhar com o sistema de armazenagem FIFO, a empresa apresenta a política de apresentar e vender o estoque antigo antes de vender as mercadorias recentemente compradas ou produzidas.

O sistema de armazenagem FIFO é bastante utilizado por empresas que trabalham com produtos perecíveis, como supermercados ou indústrias de alimentos, ou mesmo por empresas que trabalham com itens que podem ficar fora de moda.

Um supermercado ou uma indústria de alimentos, em sua maioria, investem em sistemas de armazenagem que lhes dão possibilidade de vender primeiro os itens de estoque que foram comprados antes.

Nos supermercados, os itens mais antigos são colocados na frente das prateleiras, onde os clientes podem facilmente comprar. Nesse caso, o supermercado terá menos prejuízo nos estoques, não tendo que descartar produtos que percam a validade.

Como aplicar os sistemas de armazenagem FIFO e LIFO na contabilidade

Ao trabalhar com a contabilidade de custos, os sistemas de armazenagem LIFO e FIFO são feitos de forma diferente para a valorização dos estoques de uma empresa.

O sistema de avaliação é essencial para determinar o passivo fiscal de uma empresa, sendo também importante para que os investidores entendam como são determinados os valores de inventário. Em alguns casos, os sistemas de armazenagem FIFO e LIFO também podem ser utilizados tanto para aumentar quanto para reduzir os lucros apresentados no balanço patrimonial.

Com isso em vista, os investidores poderão usar as informações para tomar suas decisões sobre as perspectivas futuras do empreendimento.

Usando o método FIFO

No sistema de armazenagem FIFO, a contabilidade parte do pressuposto de que os primeiros bens vendidos foram os primeiros bens que a empresa comprou ou produziu para revenda.

Evidentemente esse pode não ser o caso que ocorra a todo momento e em cada venda, já que a empresa pode estocar o inventário que possui tanto mercadorias novas quanto antigas, usando-as aleatoriamente.

No entanto, como o custo de produção de bens acompanha o mercado, podendo se elevar ao longo do tempo, uma empresa avaliada segundo o método de armazenagem FIFO, apresenta um relatório mais rentável, pelo menos no balanço patrimonial, uma vez que o preço de venda das mercadorias ou dos produtos pode ser muito superior ao do seu valor de inventário.

Usando o método LIFO

Com relação ao sistema de armazenagem LIFO, no entanto, a empresa leva em conta os valores do estoque entendendo que as mercadorias produzidas por último são as primeiras que serão vendidas.

Embora uma empresa não precise utilizar qualquer método para a avaliação do valor de seus estoques, ela pode basear o valor do custo médio dos itens que serviram para a produção.

Neste caso, a contabilidade trabalha com a inserção do custo real de cada item em conjunto, dividindo pelo número de itens do estoque. O valor é atribuído a cada item e, assim, ele é adicionado em conjunto, para determinar o valor do estoque da empresa.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *