Tire suas dúvidas sobre como fazer o endereçamento do seu sistema de armazenagem

Tire suas dúvidas sobre como fazer o endereçamento do seu sistema de armazenagem

Você já acompanhou aqui no site falarmos sobre diversas maneiras de como organizar o seu sistema de armazenagem, aprendeu como diferenciá-los e também a organizá-los melhor. Por isso, na postagem de hoje vamos mostrar para você qual a melhor maneira identificar e endereçar da maneira correta o seu armazém de estoques.

Se você pesquisar na internet, mesmo que não seja um especialista no assunto, vai se deparar com diversas maneiras de executar esta ação. No entanto, de nada adianta tentar inovar se utilizar uma metodologia que não é de fácil entendimento para todos os envolvidos, sejam funcionários fixos ou temporários (casos como este são as contratações em períodos de festas de final de ano, como no Natal).

Por isso, a recomendação é desenvolver um sistema simples, com uma sinalização padrão, que não confunda quem tem contato seguido com o sistema de armazenagem. Pois dessa maneira, ficará muito mais claro para o profissional que atua nessa área executar o seu trabalho, seja para o controle da entrada e saída de mercadorias, assim como uma otimização nas rotinas diárias, evitando os chamados erros humanos, como erros no envio, troca de mercadorias e desorganização de toda estrutura.

Além disso, não é necessário que se crie toda uma metodologia de trabalho específica para estes tipos de armazéns. Basta usar como exemplo o senso comum em relação ao sistema de endereços da sua casa, por exemplo. Você se localizar a partir do número da casa, nome da rua, nome do bairro, cidade, etc.. No seu sistema de armazenagem, você também pode seguir essa lógica. Veja:

– Ruas >> corredores;

– Casas ou prédios >> módulos;

– Andar do prédio >> nível da prateleira;

– Apartamento >> vão.

A partir do momento em que conseguimos associar elementos do conhecimento comum (como saber o nome da rua em que você mora, por exemplo), fica muito mais fácil implantar qualquer metodologia a sua rotina de trabalho, como a localização das mercadorias nos sistemas de armazenagem.

Para que essa sinalização seja realmente eficaz, alguns cuidados precisam ser observados, como por exemplo, evitar a utilização de letras, visto que elas são limitadas e num momento de pressa, pode ficar difícil para o funcionário realizar cálculos de contagem, como:

– Preciso ir da prateleira G até a M, quantas prateleiras preciso me deslocar?

– Caso que ficaria muito mais fácil com numerais, ou seja, o raciocínio se faz mais rápido e automático.

Consequentemente, fazer uso dessa linguagem numérica, facilitará para a implantação de leitura e identificação por meio de serviços digitais, como por meio de códigos de barras.

O código de barras

Para facilitar a busca por produtos e mercadorias no sistema de armazenagem, fazer uso do código de barras pode ser uma ótima opção para auxiliar no endereçamento das estantes e prateleiras, principalmente em grandes pavilhões. Sendo assim, deixamos algumas dicas:

1 – Utilizar apenas números e nunca letras. Essa prática tornará o processo de implementação dos códigos mais simples, pois essa codificação no formato alfanumérico ajudará a ampliar o número de caracteres disponíveis para uso.

2 – Procure utilizar uma quantidade de números pares para criar esta codificação da leitura digital. Caso aconteça alguma associação de códigos que gere numeração em quantidades ímpares, será necessário acrescentar o número zero à esquerda, para finalizar esta etapa.

3 – Outro detalhe a ser considerado é em relação a largura das barras que compõem o código. Pois barras mais largas podem ser identificadas pelos leitores ópticos com uma distância maior.

4 – É preciso também lembrarmos que alguns fatores limitam a largura do código de barras. O primeiro deles é por conta da quantidade de caracteres presentes na codificação, que exercem suma importância na sua compactação; o outro detalhe que irá influenciar nesse processo de leitura é em relação ao espaço disponível na própria etiqueta. Lembrando que, em virtude dos espaços internos disponíveis para o endereçamento nas estantes, o ideal é que as etiquetas não ultrapassem os 80 mm de largura.

Lembrando que toda essa configuração do endereçamento do seu armazém, trata-se apenas de ideias e sugestões que possam facilitar o dia a dia do seu sistema de armazenagem. Novas e futuras opções podem surgir de acordo com a experiência que você e sua equipe possam ir adquirindo no tempo de trabalho. Afinal, não existe a chamada “receita de bolo” para definir qual seria a melhor metodologia a ser implanta na estrutura do seu armazém. No entanto, as sugestões apresentadas ao longo desta postagem são relativamente simples e de fácil adequação e adaptação e, mais do que tudo, pode gerar bons e ótimos resultados.

Nos vemos num próximo post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *